Posts

O cérebro veio sem manual. Descubra o seu!

Essas coisas acontecem com você às vezes?

Você quer fazer uma mudança positiva em sua vida e não faz mudanças reais ?

Você gostaria de modificar certos comportamentos e não sabe como fazê-lo?

Você precisa melhorar sua Comunicação Pessoal de maneira extraordinária ?

Você quer sentir mais Confiança, Liberdade e Domínio Emocional?

Você precisa de recursos para melhorar seu trabalho e desempenho profissional?

Você anseia por outro tipo de vida, mas é difícil para você sair dessa “zona de conforto” que o leva como “piloto automático” para fazer as mesmas coisas, os mesmos comportamentos, mesmo que isso gere a mesma insatisfação?

Você quer ser o protagonista de sua vida, e não um simples espectador disso?

Aprenda as ferramentas e técnicas para se libertar desse ciclo negativo e conseguir atingir seus objetivos.

Mude sua vida com o conhecimento e as habilidades adicionais participando do curso PNL NA PRÁTICA.

Esta combinação de ferramentas e técnicas ajudará a libertar-se da bagagem que o impediu de alcançar seus objetivos na vida e a ajudá-lo a melhorar seu relacionamento consigo mesmo e com os outros para alcançar os resultados desejados.

Este curso tem como objetivo apresentar, treinar e desenvolver, de forma rápida, prática e objetiva as principais habilidades e conceitos deste sistema avançado de desenvolvimento humano, que podem ser utilizadas para a obtenção de excelência pessoal, ou ainda nas mais diversas áreas da atuação profissional, como por exemplo em comunicação, vendas, liderança, educação, terapia, coaching etc.

Curso de padrão internacional com certificado assinado pesoalmente por RICHARD BANDLER, cocriador da PNL. Imperdível!!!

Inscreva-se já!

Cel/WhatsApp: (11)99121-8379

E-mail: cursos@rogeriocastilho.com.br

Palestra DA FAVELA PARA O MUNDO

Mora em Fortaleza? Darei uma palestra em que contarei minha trajetória do fundo do poço para as maiores cidades do mundo.

Participe! Pode ser que eu te inspire a ser uma pessoa melhor.

Inscreva-se: https://www.sympla.com.br/da-favela-para-o-mundo—rogerio-castilho__797536

Aula sobre refrigerantes

Você ainda toma refri? Então preste atenção:
Na verdade, a fórmula ‘secreta’ da Coca-Cola se desvenda em 18 segundos em qualquer espectrômetro-ótico, e basicamente até os cachorros a conhecem. Só que não dá para fabricar igual, a não ser que você tenha uns 10 bilhões de dólares para brigar com a Coca-Cola na justiça, porque eles vão cair matando.A fórmula da Pepsi tem uma diferença básica da Coca-Cola e é proposital exatamente para evitar processo judicial. Não é diferente porque não conseguiram fazer igual não, é de propósito, mas próximo o suficiente para atrair o consumidor da Coca-Cola que quer um gostinho diferente com menos sal e açúcar.

Entre outras coisas, fui eu quem teve que aprender tudo sobre refrigerante gaseificado para produzir o guaraná Golly aqui (nos EUA), que usa o concentrado Brahma. Está no mercado até hoje, mas falhou terrivelmente em estratégia promocional e vende só para o mercado local, tudo isso devido à cabeça dura de alguns diretores.

Tive que aprender química, entender tudo sobre componentes de refrigerantes, conservantes, sais, ácidos, cafeína, enlatamento, produção de label de lata, permissões, aprovações e muito etc. e tal. Montei um mini-laboratório de análise de produto, equipamento até para analisar quantidade de sólidos, etc. Até desenvolvi programas para PC para cálculo da fórmula com base nos volumes e tipo de envasamento (plástico ou alumínio), pois isso muda os valores e o sabor. Tivemos até equipe de competição em stock-car.

Tire a imensa quantidade de sal que a Coca-Cola usa (50mg de sódio na lata) e voc ê verá que a Coca-Cola fica igualzinha a qualquer outro refrigerante sem-vergonha e porcaria, adocicado e enjoado. É exatamente o Cloreto de Sódio em exagero (que eles dizem ser ‘very low sodium’) que refresca e ao mesmo tempo dá sede em dobro, pedindo outro refrigerante, e não enjoa porque o tal sal mata literalmente a sensibilidade ao doce, que também tem de montão: 39 gramas de ‘açúcar’ (sacarose).

É ridículo, dos 350 gramas de produto líquido, mais de 10% é açúcar. Imagine numa lata de Coca-Cola, mais de 1 centímetro e meio da lata é açúcar puro… Isso dá aproximadamente umas 3 colheres de sopa CHEIAS DE AÇÚCAR POR LATA!…

– Fórmula da Coca-Cola?…

Simples: Concentrado de Açúcar queimado – Caramelo – para dar cor escura e gosto; ácido ortofosfórico (azedinho); sacarose – açúcar (HFCS – High Fructose Corn Syrup – açúcar líquido da frutose do milho); extrato da folha da planta COCA (África e Índia) e poucos outros aromatizantes naturais de outras plantas, cafeína, e conservante que pode ser Benzoato de Sódio ou Benzoato de Potássio, Dióxido de carbono de montão para fritar a língua quando você a toma e junto com o sal dar a sensação de refrigeração.

O uso de ácido ortofosfórico e não o ácido cítrico como todos os outros usam, é para dar a sensação de dentes e boca limpa ao beber, o fosfórico literalmente frita tudo e em quantidade pode até causar decapamento do esmalte dos dentes, coisa que o cítrico ataca com muito menor violência, pois o artofosfórico ‘chupa’ todo o cálcio do organismo, podendo causar até osteoporose, sem contar o comprometimento na formação dos ossos e dentes das crianças em idade de formação óssea, dos 2 aos 14 anos. Tente comprar ácido fosfórico para ver as mil recomendações de segurança e manuseio (queima o cristalino do olho, queima a pele, etc.).

Só como informação geral, é proibid o usar ácido fosfórico em qualquer outro refrigerante, só a Coca-Cola tem permissão… (claro, se tirar, a Coca-Cola ficará com gosto de sabão).

O extrato da coca e outras folhas quase não mudam nada no sabor, é mais efeito cosmético e mercadológico, assim como o guaraná, você não sente o gosto dele, nem cheiro, (o verdadeiro guaraná tem gosto amargo) ele está lá até porque legalmente tem que estar (questão de registro comercial), mas se tirar você nem nota diferença no gosto.

O gosto é dado basicamente pelas quantidades diferentes de açúcar, açúcar queimado, sais, ácidos e conservantes. Tem uma empresa química aqui em Bartow, sul de Orlando.

Já visitei os caras inúmeras vezes e eles basicamente produzem aromatizantes e essências para sucos. Sais concentrados e essências o dia inteiro, caminhão atrás de caminhão! Eles produzem isso para fábricas de sorvete, refrigerantes, sucos, enlatados, até comida colorida e arom atizada.

Visitando a fábrica, pedi para ver o depósito de concentrados das frutas, que deveria ser imenso, cheio de reservatórios imensos de laranja, abacaxi, morango, e tantos outros (comentei). O sujeito olhou para mim, deu uma risadinha e me levou para visitar os depósitos imensos de corantes e mais de 50 tipos de componentes químicos. O refrigerante de laranja, o que menos tem é laranja; morango, até os gominhos que ficam em suspensão são feitos de goma (uma liga química que envolve um semipolímero). Abacaxi é um festival de ácidos e mais goma. Essência para sorvete de Abacate? Usam até peróxido de hidrogênio (água oxigenada) para dar aquela sensação de arrasto espumoso no céu da boca ao comer, típico do abacate.

O segundo refrigerante mais vendido aqui nos Estados Unidos é o Dr. Pepper, o mais antigo de todos, mais antigo que a própria Coca-Cola. Esse refrigerante era vendido obviamente sem refrigeração e sem gaseificaç ão em mil oitocentos e pedrada, em garrafinhas com rolha como medicamento, nas carroças ambulantes que você vê em filmes do velho oeste americano. Além de tirar dor de barriga e unha encravada, também tirava mancha de ferrugem de cortina, além de ajudar a renovar a graxa dos eixos das carroças. Para quem não sabe, Dr. Pepper tem um sabor horrível, e é muito fácil de experimentar em casa: pegue GELOL spray, aquele que você usa quando leva um chute na canela, e dê um bom spray na boca! Esse é o gosto do tal famoso Dr.Pepper que vende muito por aqui.

– Refrigerante DIET

Quer saber a quantidade de lixo que tem em refrigerante diet? Não uso nem para desentupir a pia, porque tenho pena da tubulação de pvc… Olha, só para abrir os olhos dos cegos: os produtos adocicantes diet têm vida muito curta. O aspartame, por exemplo, após 3 semanas de molhado passa a ter gosto de pano velho sujo.

Para evitar isso, soma-se uma infinidade de outros químicos, um para esticar a vida do aspartame, outro para dar buffer (arredondar) o gosto do segundo químico, outro para neutralizar a cor dos dois químicos juntos que deixam o líquido turvo, outro para manter o terceiro químico em suspensão, senão o fundo do refrigerante fica escuro, outro para evitar cristalização do aspartame, outro para realçar, dar ‘edge’ no ácido cítrico ou fosfórico que acaba sofrendo pela influência dos 4 produtos químicos iniciais, e assim vai… A lista é enorme.

Depois de toda essa minha experiência com produção e estudo de refrigerantes, posso afirmar: Sabe qual é o melhor refrigerante? Água filtrada, de preferência duplamente filtrada, laranja ou limão espremido e gelo… Mais nada !!! Nem açúcar, nem sal.

Prof. Dr. Carlos Alexandre FettFaculdade de Educação Física da UFMT Mestrado da Nutrição da UFMT Laboratório de Aptidão Física e Metabolismo – 3615 8836 Consultoria em Performance Humana e Estética

O QUE ACONTECE QUANDO VOCÊ ACABA DE BEBER UMA LATA DE REFRIGERANTE
Primeiros 10 minutos:10 colheres de chá de açúcar batem no seu corpo, 100% do recomendado diariamente. Você não vomita imediatamente pelo doce extremo, porque o ácido fosfórico corta o gosto.
20 minutos:O nível de açúcar em seu sangue estoura, forçando um jorro de insulina. O fígado responde transformando todo o açúcar que recebe em gordura (É muito para este momento em particular).
40 mpurra cálcio, magnésio e zinco para o intestino grosso, aumentando o metabolismo. As altas doses de açúcar e outros adoçantes aumentam a excreção de cálcio na urina, ou seja, está urinando seus ossos, uma das causas das OSTEOPOROSE.
60 minutos:
As propriedades diuréticas da cafeína entram em ação.a tudo que estava no refrigerante, mas não sem antes ter posto para fora, junto, coisas das quais farão falta ao seu organismo.

*Pense nisso antes de beber refrigerantes.
Se não puder evitá-los, modere sua ingestão!

Prefira sucos naturais.
Seu corpo agradece!*

Caso precise de ajuda para deixar de gostar de refrigerante, procure ajuda profissional.
Em nossos atendimentos com Hipnose e com PNL, te ajudamos nessas (e em outras) questões.
Procure-nos!
São Paulo, Fortaleza, Lisboa
contato@rogeriocastilho.com.br

Qual o MOTIVo da sua AÇÃO?

QUAL O MOTIVO DA SUA  AÇÃO?

 

Para que você se levanta todos os dias e vai trabalhar? Já pensou nisso? Atente que a pergunta não é “Por quê?”, já que esta indagação teria uma justificativa como resposta, algo do tipo “Porque eu preciso pagar minhas contas” ou coisa parecida. A pergunta “Para quê?” elicia MOTIVAÇÃO, ou seja, o motivo da ação.

Percebe que são perguntas (e respostas) bem diferentes? Então, para que você faz o que faz? Se ainda não sabe, eu te digo. Você, eu, todos nós, fazemos o que fazemos por apenas dois motivos: evitar Dor e/ou buscar Prazer. Senão, vejamos; para que você escova os dentes? Para evitar cáries, mau hálito, dentes amarelos (fugindo da Dor) ou para sentir os dentes limpos, a boca refrescante, liberdade para sorrir sem o risco de uma sujeirinha aparente (busca do Prazer).

Pense no banho, é a mesma coisa. Tomamos para evitar a Dor da sujeira, do mau cheiro, e/ou pelo Prazer do relaxamento, da higiene corporal. Qualquer outro comportamento seguirá o mesmo padrão. Volte então à pergunta inicial e pense no motivo de você ir trabalhar todos os dias. Se é para pagar as contas, para (sobre)viver, você está sendo motivado pela Dor. Se é para crescer profissionalmente, para contribuir, para se desenvolver, a motivação é pelo Prazer.

Sim, ambas funcionam – e bem. Um bom gestor identifica o padrão do colaborador e fala com ele de modo que o toque. Dizer que “Vamos perder mercado se não vendermos mais” para alguém motivado por Prazer não funciona. Assim como “Vendendo mais, será bom pra todo mundo” não ecoa em alguém motivado pela Dor. É aí que entra a “autogestão”! Sabendo como você funciona, fica bem mais fácil de se automotivar, não é?

Talvez pareça óbvio, mas não é. Muita gente não se conhece, age no automático, vive um dia após o outro sem um propósito definido. Infelizmente, alguém aí do seu lado é “devoto de Zeca Pagodinho” e deixa a vida lhe levar. O problema é que a vida passa rápido, e quando se “desperta”, pode ser tarde demais. Elizabeth Kübler-Ross foi uma médica psiquiatra suíça que trabalhou muito tempo com cuidados paliativos em hospitais nos Estados Unidos. A Drª Elizabeth fez uma ampla pesquisa com doentes terminais, fazendo-lhes a seguinte pergunta: Se você pudesse viver novamente, o que faria diferente? A imensa maioria respondeu “Arriscaria mais”, faria mais coisas.

Vivemos amparados por uma aparente segurança, dentro da chamada “Zona de Conforto”, muitas vezes fazendo o que não gostamos, para satisfazer  nossa programação de evitar Dor ou de buscar Prazer. Bem, agora que você já sabe como funciona, que tal descobrir qual sua Motivação? Se conhecendo, você pode tirar muito mais proveito do seu modo de pensar. “OK, Professor Castilho, gostei da ideia, mas como fazer?”. Se chegou a esta pergunta, ótimo! Vamos lá!!

Nós psicólogos gostamos de fazer experimentos e de aplicar os resultados nossos e de colegas bem sucedidos. Os estudiosos da Motivação concluíram que pessoas que respondem melhor à evitação da Dor podem utilizar este mecanismo se perguntando “o que de PIOR poderia acontecer se não fizesse tal coisa?”. Com a resposta, repete-se a pergunta, e assim sucessivamente até sentir algum DESCONFORTO. Pronto, seu motor foi abastecido com um combustível eficiente!

Aqueles que se motivam pelo Prazer, devem se perguntar “o que de MELHOR vai acontecer quando eu fizer tal coisa?” e seguir com a mesma pergunta a cada resposta, até sentir   SATISFAÇÃO com a ideia que lhe surgiu à mente. Mais um motor bem abastecido!

Importante: cada resposta, em qualquer dos casos, deve ser VIVENCIADA como se estivesse acontecendo no momento. O cérebro humano não sabe diferenciar memória de imaginação, nem imaginação de realidade. Quando vivenciamos um pensamento, para nosso cérebro aquilo está efetivamente acontecendo (como nos pesadelos, que eu chamo de mentiras verdadeiras. Nada daquilo está acontecendo realmente, mas para o cérebro está, então ele dispara as reações quimico-físicas que produziria na realidade).

Agora, o “pulo do gato”: um avião com um motor só, voa. Chama-se monomotor. Porém, um avião com dois motores (bimotor) voa mais alto e mais rápido… Ou seja, é possível (e recomendável) utilizar as duas estratégias! Sim, provocar Dor e em seguira, Prazer. SEMPRE NESTA ORDEM!!! Vou dar um exemplo: digamos que uma pessoa não se sente motivada a aprender um outro idioma, mesmo sabendo o quanto isso poderia incrementar seu currículo e resultados profissionais. Ela pode fazer a alavancagem pela Dor se perguntando o que ela perde não falando aquele idioma (e vivenciando a Dor das perdas): vergonha, impotência, perda de oportunidades, sensação de obsolência etc. Quando incomodar, é a hora de partir para o Prazer. “O que eu vou ganhar falando tal idioma?” (e vivenciar o Prazer): liberdade, possibilidades, conhecimento, crescimento. Que tal??

Vale repetir: comece SEMPRE pela Dor e termine pelo Prazer, não importa qual seja o seu sistema. Assim, ao final do exercício, você estará com uma agradável sensação de possibilidades. Em minhas palestras costumo dizer que se você tem 1,50m de altura, não queira jogar basquete porque podem confundir sua cabeça com a bola. E se mede 2,0m, evite a carreira da jóquei; suas pernas vão arrastar no chão! Com isso, quero dizer para você usar o que a Natureza te deu. Os “motores” motivacionais estão instalados em todos nós. Sabendo como funcionam, podemos usar em nosso benefício.

Outra frase que repito com frequência é: Quem tem um bom PARA QUE acaba encontrando um COMO. Estabeleça objetivos nas diversas áreas da sua vida. Pessoal, Profissional, Familiar, Espiritual, da Saúde, Financeira etc. E que sus ambição seja grande. Motivo fraco, ação fraca. Não significa que você vá atingir todos eles, não é isso. Mas ao se mover em direção a algo GRANDE, mesmo que você não chegue lá, vai vivenciar tanta coisa, aprender, ensinar, trocar, viver. Viva intensamente. Evite deixar a vida te levar, ou você pode dançar…

“Seja reconhecido por suas realizações e não por suas desculpas.”

 

 

Prof. Rogério Castilho, Palestrante e professor de PNL e de Hipnose

Inteligência Emocional

O psicólogo Daniel Goleman é conhecido como o ‘pai’ da Inteligência Emocional. Segundo ele, de nada adiantaria ter um alto quociente intelectual (QI) e baixa IE. Esta seria uma pessoa chamada de “gênio explosivo”, ou seja, seus resultados deixariam a desejar. Um outro psicólogo, Howard Gardner, elencou 9 tipos de inteligências:

À partir desse estudo, Goleman chegou ao conceito de Inteligência Emocional. Sou bastante propenso a concordar com ele: pouco adianta extrema inteligência em alguma área especifica sem identificação, codificação e manejo das próprias emoções.

Caso você que está lendo se identifique como uma pessoa explosiva, impulsiva, de “pavio curto”, procure ajuda especializada. Em nosso Instituto temos profissionais altamente capacitados para te ajudar. Trabalhamos com Psicologia, Hipnose clínica, PNL e Coaching. Atendemos em Fortaleza, São Paulo e Lisboa.

Informações: contato@rogeriocastilho.com.br

O profissional mais bem sucedido não é o que sabe mais sobre seu ofício, é o que se comunica melhor.
Quer melhores resultados?
Faça o que precisa ser feito.

www.rogeriocastilho.com.br

Mude seus pensamentos, mude sua vida

“Mude seus pensamentos criando alternativas de futuros para si mesmo. Esse simples exercício usando uma estratégia de motivação da PNL, pode levar a uma motivação maior no presente.

Muito do que precisamos fazer requer que nós mesmos nos motivemos de uma forma intencional. As recompensas da vida não aparecem magicamente, apesar do nosso desejo infantil da gratificação instantânea e sem esforço. Você deve mudar o seu pensamento sobre isso.

Resultados positivos exigem esforço positivo. O esforço positivo exige motivação. Assim, se a sua automotivação está insuficiente para fazer algo que você precisa fazer, você está no lugar certo. Veja como o método de alternar futuros funciona para inspirá-lo a começar a trabalhar produzindo resultados.

Veja o que fazer para mudar o seu pensamento, especificamente…

1) liste as razões de porquê você deseja mudar.

2) imagine, em detalhes, as consequências (de não fazer isso) que você inevitavelmente sofrerá no futuro.

3) imagine, em detalhes, os benefícios que você vai colher no futuro, se você fizer isso.

Por exemplo:

Perder peso e entrar em forma não acontece só porque você quer. E o pior, na maioria das vezes, só desejamos estar em forma e acabamos muito aquém do puro desejo de fitness e saúde. Então, vamos aplicar o processo de alternativas do futuro para mudar o seu pensamento.

Primeiro passocomeçamos listando as razões porque queremos perder peso:

• mais energia

• melhor saúde

• maior autoestima

• alívio da dor nas costas e nas articulações

etc… Você pode listar tantas razões quantas quiser.

Segundo passo: imagine, em detalhes, sofrendo as consequências de não fazer o que você precisa fazer.

Então, por exemplo, você está com chagas no pé causadas pela diabete. Ou precisa de cirurgia na coluna. Sem energia e dependendo de outras pessoas para cuidarem de você. Sua carreira pode ser interrompida. Sua vida certamente seria abreviada, deixando para trás entes queridos com os quais poderia ter passado mais tempo.

Não evite a possibilidade de essas coisas negativas acontecerem. Se você permanecer desmotivado e não mudar o seu pensamento, essas são possibilidades reais. Enfrente-as. Sinta-as. Mude para um futuro imaginado no qual essas possibilidades são reais. Como você gostaria que fosse a sua vida?

E então refresque as suas ideias.

Terceiro passo: imagine, em detalhes, usufruindo os benefícios futuros resultantes das ações tomadas.

Mude para um futuro imaginário no qual você se vê saudável, cheio de energia. Diga para você mesmo como está feliz cuidando de si mesmo e como realmente sente isso agora em seu corpo. Vá em frente e imagine um futuro brilhante e cheio de vida com sua saúde vigorosa e permita se sentir super satisfeito com essa perspectiva no aqui e agora.

Se esse processo fizer o que ele normalmente faz, então o seu nível de motivação vai aumentar imediatamente. Sua mente e seu corpo reagirão em contraposição aos resultados. Você estará mais motivado! Na verdade, será impossível não ficar mais motivado na hora se você seguir essas instruções.

Então, faça uma lista do que vai fazer hoje e vá atrás. Malhe enquanto o ferro está quente. Zere o marcador e repita. Não se surpreenda se precisar fazer diariamente esse exercício. Na realidade, eu recomendo.

A PNL é sobre como mudar o seu pensamento para se tornar um ser mais intencional. As estratégias de motivação são técnicas comumente ensinadas em um treinamento Practitioner de PNL que se concentra na verdadeira mudança através do nosso próprio conhecimento e de um melhor conhecimento dos outros.

As pessoas que fazem o treinamento de Practitioner de PNL acham que se tornam melhor para solucionar os problemas, atingem seus objetivos mais rapidamente e são capazes de criar relacionamentos mais fortes.”

(O artigo original “Change Your Thinking: The Alternate Futures Self-Motivation Exercise” encontra-se no site inlpcenter.org )


O texto acima mostra UMA das inúmeras possíbilidades de flexibilização do pensamento que a PNL proporciona. Tendo mais opções, você se tornará uma pessoa mais flexível.

Sendo uma pessoa mais flexível te dará mais possibilidades. Tendo mais possíbilidades, você poderá fazer mais SUCESSO na vida – seja lá o que SUCESSO signifique para você.

Como Trainer oficial da The Society of NLP, dou cursos de PNL com autorização de Richard Bandler, o co-criador da Programação Neurolinguística. Inclusive, o seu certificado será assinado pessoalmente por ele! Você terá um documento histórico, um marco da sua mudança de pensamento e de comportamento para MUITO MELHOR.

Confira nossos próximos treinamentos em www.rogeriocastilho.com.br/agenda 

 

Se fizer o que sempre fez, vai continuar obtendo o que sempre obteve

Resultados diferentes pedem ações diferentes. De nada adianta reclamar, sem ações efetivas.

1º) Defina seu objetivo

2º) Identifique a que distância você está dele

3º) Estabeleça um plano para chegar lá

4º) Aprenda com quem já chegou

5º) Faça o que precisa ser feito

Um equívoco comum nos planejamentos estratégicos é começar pelo problema. Onde colocamos o foco, é para lá que vai a nossa energia. Há pessoas que são especialistas em problemas! Para cada solução ela tem um “mas”. Experimente iniciar o processo determinando onde quer chegar, qual o seu objetivo. Depois, sim, examine a situação atual e os possíveis motivos que te levaram até ela. À partir daí, crie alternativas para chegar no seu objetivo. Quanto mais, melhor!
Uma boa maneira de atingir objetivos é estudando as estratégias de quem chegou lá primeiro que você. Pode-se fazer isso pessoalmente, por vídeos, livros, palestras, entrevistas. Sim, você pode chegar lá com suas próprias pernas, mas lembre-se: o tempo é o melhor dos professores. Pena que acaba matando todos os seus alunos…
Por último, entre em ação. O sonho é o pai e a ação é a mãe das realizações. Conheço gente que só sonha; com uma “vida melhor”, com realizações, com conquistas, só sonha. Não faz nada efetivo. Vai chegar lá nunca.

E você, o seu objetivo é motivador o suficiente para te mover em direção a ele? Então…

 

 

A repetição é a mãe do aprendizado

Aprendemos por experiência significativa ou por repetição.
O marketing (no caso o Neuronarketing) sabe disso muito bem!

Processed with MOLDIV

Não pense numa maçã

(Este meu texto faz parte do livro “Manual Completo de PNL)

A Programação Neurolinguística (PNL) ensina, entre outras coisas, que se deve pensar e dizer aquilo que se quer, e não o contrário disso. O foco deve estar sempre no positivo, distanciando-se aqui do “pensamento positivo” – que também ajuda, mas não resolve. Positivo aqui é efetivamente qual o objetivo.

Quando Richard Bandler, co-criador da PNL, foi estudar Psicologia, percebeu que as técnicas, métodos e procedimentos estavam voltados a explicar porque as pessoas não funcionam. Felizmente esta constatação o estimulou a investir sua curiosidade no contrário, nas pessoas que efetivamente funcionam melhor. A parceria com John Grinder levou-os a estudar os estados de excelência dos grandes realizadores em diversos campos. Todos, invariavelmente, focavam no que queriam e não no contrário.
A linguagem verbal e escrita, embora representem apenas 7% da Comunicação (1), têm grande importância no processo de obtenção de objetivos, porque representam a “materialização” da representação interna. Segundo a Gramática Transformacional de Noam Chomsky (2), o que é falado ou escrito compõe a Estrutura Superficial, que é a expressão dos pensamentos, conceitos e ideias, que são a Estrutura Profunda. Ou seja, nossas palavras indicam um universo interno rico ou o contrário.

Como bem coloca Anthony Robbins, em “Desperte o Gigante Interior”, “as pessoas com vocabulário empobrecido levam uma vida emocional empobrecida; as pessoas com um vocabulário rico possuem uma palheta multicolorida para pintar suas experiências, não apenas para os outros, mas também para si mesmas. Apenas pela mudança de seu vocabulário habitual – as palavras que você usa sistematicamente para descrever emoções de sua vida –, você pode no mesmo instante mudar como pensa, como sente e como vive”. Eis aqui a chave para proporcionar a si mesmo experiências internas e externas mais positivas e enriquecedoras: “Uma seleção eficaz de palavras para descrever a experiência de nossas vidas pode expandir nossas emoções mais fortalecedoras. Uma seleção de palavras inferior pode nos destruir com a mesma certeza e rapidez. As pessoas fazem opções inconscientes nas palavras que usam; avançamos como sonâmbulos pelo labirinto de possibilidades à nossa disposição: Compreenda agora o poder que suas palavras comandam se apenas as escolher com sensatez”.

Parece simples – e é. Os resultados positivos na expressão verbal e escrita dependerão exclusivamente de uma sistemática busca pela comunicação objetiva. A repetição é a mãe do aprendizado. Vou repetir: a repetição é a mãe do aprendizado. Se você ainda não expressa seus pensamentos de forma positiva, pode começar a fazê-lo agora mesmo: faça uma lista de objetivos, em diversas áreas da sua vida, pessoal, profissional, financeira, amorosa, saúde, relacionamentos, etc. O que você quer para cada uma delas, no curto, médio e longo prazo? Escreva livremente. Depois, analise com atenção sua Estrutura Superficial. Através dela pode-se mudar seu conteúdo interno, se não estiver satisfeito. Mude suas palavras para o modo afirmativo e positivo. Repita-as tantas vezes quantas forem necessárias até que passem a fazer parte de sua Estrutura Profunda.

Lembro-me quando minha mulher me pediu para ir ao supermercado e disse o que eu precisava comprar: “detergente, açúcar, ovos, azeite, limão, sabão em pó, arroz e carne. Ah, não esquece o sal!”. Eu trouxe tudo, menos o sal. Meu cérebro registrou alguma coisa como “Ah, não… Esquece o sal”. O ideal a se dizer numa ocasião dessas é “lembre-se do sal”, porque é efetivamente isto que se deseja. Lembre-se disso: esqueça o “não esqueça” e lembre-se do “lembre-se”. Sua linguagem será mais efetiva, e seus resultados também.

Nós, humanos, somos animais linguísticos. Estamos nos comunicando todo o tempo, com os outros e conosco. O resultado dessa comunicação está diretamente ligado à qualidade do conteúdo. Imagine-se indo a um restaurante e dizendo ao garçom: “Eu não quero arroz, nem macarrão. Não gosto de carne crua, nem de nada muito condimentado. Não suporto cheiro de cebola e não estou a fim de comer nada muito quente”. Pode ser o melhor restaurante do mundo, que o garçom não te servirá nada ou, pior, trará o que ele considerar como bom e saboroso. Este restaurante é a Vida. Seja específico nos seus pedidos ou ficará com fome. Seja objetivo nos seus pedidos ou terá que se contentar com o que os outros acham que você quer. Seja positivo no sentido de desejar pedir e esperar exatamente o que mais gosta. De minha parte, vou saborear um salmão grelhado com alcaparras e arroz branco bem soltinho. Está servido?!

Agora volte ao título deste texto e responda: é verde ou vermelha?!

Quando se diz o que não se quer, o resultado é exatamente o contrário do que se deseja. Se eu efetivamente quisesse que você não pensasse numa maçã, teria escrito “pense numa banana”, ou numa pêra, melancia, uva, kiwi, goiaba

Notas:

(1)Albert Mehrabian, professor emérito de psicologia da Universidade da Califórnia (UCLA), a partir de 1967 conduziu estudos que originaram a Teoria 7-38-55, publicada no Journal of Consulting Psychology com o título “Inference of attitudes from nonverbal communication in two channels”. O estudo indica que, no processo de comunicação, 7% do impacto da mensagem decorrem de seu conteúdo, 38% da comunicação verbal (intensidade e velocidade da voz) e 55% da linguagem não-verbal (gestos, postura, contato visual).

(2)Avram Noam Chomsky (Filadélfia, 7 de dezembro de 1928) é um linguista, filósofo e ativista político norte-americano. É professor de Linguística no Instituto de Tecnologia de Massachusetts. Seu nome está associado à criação da gramática ge(ne)rativa transformacional, abordagem que revolucionou os estudos no domínio da linguística teórica. É também o autor de trabalhos fundamentais sobre as propriedades matemáticas das linguagens formais, sendo o seu nome associado à chamada Hierarquia de Chomsky. Seus trabalhos, combinando uma abordagem matemática dos fenômenos da linguagem com uma crítica do behaviorismo, nos quais a linguagem é conceitualizada como uma propriedade inata do cérebro humano, contribuem decisivamente para a formação da psicologia cognitiva, no domínio das ciências humanas. (Fonte: Wikipédia)

(3)Anthony Robbins ou Tony Robbins (29 de fevereiro de 1960, Glendora, Califórnia) é um escritor e palestrante motivacional norte-americano. Foi responsável pela popularização da Programação Neurolinguística (PNL). Esta técnica permite utilizar os recursos de comunicação interna e externa ao indivíduo de forma mais eficiente. Seus livros foram publicados nos idiomas mais falados. Várias personalidades internacionais receberam ou têm recebido seu treinamento, tais como Erin Brockovich, Andre Agassi, Norman Schwarzkopf, Princesa Diana, Bill Clinton, Sir Anthony Hopkins, Roger Black, Martin Sheen, Arnold Schwarzenegger e Quincy Jones. Autor dos livros Poder sem Limites (1987); Desperte o Gigante Interior (1992); Passos de Gigante (1994); Mensagens de um Amigo (1995) e O Jogo do Dinheiro (2012).