A repetição é a mãe do aprendizado

Aprendemos por experiência significativa ou por repetição.
O marketing (no caso o Neuronarketing) sabe disso muito bem!

Processed with MOLDIV

16 razões para você começar a ler

Você não tem o hábito de ler, mas quer mudar essa situação? Confira 16 boas razões para você começar a ler e desenvolver o hábito da leitura

 A leitura, além de ser um momento de lazer, também pode trazer muitos benefícios para o corpo e a mente. Se você não possui o hábito de ler, confira 16 coisas que podem melhorar no seu dia a dia somente por meio da leitura:

1 – VOCABULÁRIO

Pesquisas científicas provam que pessoas que leem mais possuem um vocabulário maior e mais rico, além de terem melhores habilidades verbais, como fala e escrita.

2 – ESCRITA

O fato de você ler mais faz com que você tenha um maior vocabulário e saiba como utilizar melhor as palavras. Você saberá como organizá-las e, dessa forma, seu texto será mais fácil de ler e ser compreendido. Por isso que, para as pessoas que querem ser escritoras, a melhor forma de treino é a leitura.

3 – APRENDIZADO

Ler é a forma mais eficiente de aprender. Independentemente do assunto, um livro sempre será a melhor maneira de entender sobre qualquer coisa.

4 – CAPACIDADE DE ANÁLISE

Ler melhora a sua capacidade de analisar e resolver problemas. Ler sobre histórias, ficcionais ou não, irão ajudá-lo a contornar obstáculos da vida real.

5 – BENEFÍCIOS CEREBRAIS

A leitura é benéfica para o seu cérebro, já que ela desenvolve a concentração, o foco seletivo e a imaginação. Todos esses benefícios ajudam a manter o cérebro saudável e jovem, além de melhorar a memória e prevenir o Alzheimer.

6 – METAS E OBJETIVOS

Ler pode ajudá-lo a atingir os seus sonhos, não somente porque você aprende mais coisas lendo, mas também porque a leitura poder inspirar as pessoas. Ler sobre histórias de sucesso faz com que você se sinta mais preparado e motivado para correr atrás dos seus objetivos.

7 – HUMANIZAÇÃO

Muitos livros possuem o poder de humanizar os seus leitores. A leitura pode humanizar e abrir os seus sentimentos, além de desenvolver a sua empatia.

8 – OUTROS MUNDOS  

A leitura pode mandar você para outros mundos. Tanto literalmente quanto metaforicamente, o livro pode levá-lo para até onde a sua imaginação permitir. Essas experiências fazem com que os horizontes do seu mundo também se expandam.

9 – PONTOS DE VISTA

Um bom livro tem o poder de colocar você dentro da pele dos personagens. Dessa forma, você desenvolve a habilidade de ver diferentes perspectivas de uma mesma história. Isso pode ser facilmente utilizado no dia a dia.

10 – PERSPECTIVA

Ler pode trazer novas perspectivas para a sua vida. Um término de namoro ou uma briga com amigos – independentemente do que seja, sempre terá um livro que poderá ajudá-lo nesse momento.

11 – BOM HUMOR

Leitores ávidos costumam ter um nível de estresse bem inferior em relação às outras pessoas. Afinal, livros são ótima forma de fugir da realidade e diminuir o estresse do dia a dia.

12 – ESCLARECIMENTO

Pessoas que leem mais votam melhor e possuem ideias mais críticas. Ou seja, a leitura pode transformar você em uma pessoa esclarecida.

13 – CRIATIVIDADE

Ler diferentes histórias faz com que a sua criatividade seja muito mais potente em comparação às pessoas que não costumam ler. Além de ajudar a criar as suas próprias histórias, a criatividade também é importante em outras áreas da vida, tanto para resolver problemas, como para ter novas ideias.

14 – AUTOESTIMA

As pessoas que leem mais frequentemente se sentem mais inteligente e, por isso, tendem a ter a autoestima mais alta.

15 – CONTEÚDO

A leitura traz conteúdo útil para as pessoas. Se você quer “puxar assunto” com um desconhecido, que tal falar sobre os últimos livros que você leu? Ou os best-sellers do mercado? Livro pode ser um tema melhor para começar uma conversa do que o capítulo de ontem da novela.

16 – CUSTO X BENEFÍCIO

Livros são formas baratas e proveitosas de entretenimento. Ir à biblioteca, inclusive, é de graça. Além do mais, livros demoram mais tempo para serem terminados e a história fica guardada em sua mente por anos


Por: Fabrício Luís Pereira

Professor de Língua Portuguesa, com ênfase em Literatura, Gramática e Produção Textual
Linkedin: www.linkedin.com/in/fabricioluispereira/

Isso explica muita coisa

Brasileiro lê em média 2,43 livros por ano, diz pesquisa

O estudo revelou ainda que 30% da população nunca comprou um livro.

Por Redação Portal T5

Por ano, o brasileiro lê em média 2,43  livros, como mostrou a pesquisa divulgada na 4ª edição dos “Retratos da  Leitura no Brasil”, desenvolvida em março de 2016, pelo Instituto  Pró-Livro. De acordo com o professor Harry Carvalho, vários fatores  podem contribuir para a falta de costume em ler, como a desigualdade  social, o analfabetismo, a falta de estrutura familiar e o educacional.

O  estudo revelou ainda que 30% da população nunca comprou um livro. Para  Harry Carvalho, não é difícil de entender esse quadro social, já que no  Brasil o analfabetismo ainda é uma realidade que atinge 11,8 milhões de  pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística  (IBGE) de 2017. “A educação e o processo de ensino aprendizado fazem  parte da sociedade desde logo cedo. Então, quem terá o primeiro contato  com as crianças será a família e posteriormente a escola. Se no seio  familiar existir uma cultura de leitura, já teremos um bom começo, mas  se não, aí essa prática vai se isolar e depender totalmente da escola”,  destacou o professor, Harry Carvalho.

Entre as principais  motivações para a leitura das pessoas que foram ouvidas na pesquisa  estão: o gosto pela leitura (25%), atualização cultural (19%), distração  (15%), motivos religiosos (11%), crescimento pessoal (10%), exigência  escolar (7%) e atualização profissional ou exigência do trabalho (7%).  “Creio que se o hábito for criado desde a infância teremos mais  facilidade no desenvolvimento educacional dos indivíduos e da sociedade,  mas se não, poderemos sim criar tais hábitos”, informou Harry.

Como estimular o hábito de leitura?
Identificar nas pessoas gostos, prazer e satisfação de certos assuntos
Falar sobre leitura e de sua contribuição para o desenvolvimento
Indicar livros que se adequem aos gostos
Apresentar sites e/ou bibliotecas
Criar um horário/disciplina para se ler
Discutir e refletir sobre o que leu

Dicas de leitura 

Para crianças – Crianças do Brasil:  Suas histórias, seus brinquedos, seus sonhos. Autor: José Santos.  Ilustrador: Cláudio Martins – Com ele, o leitor é convidado a descobrir o  universo de meninos e meninas dos quatro cantos do país. Além disso,  veremos nesta obra questões como ecologia, geografia, política,  realidade social do Brasil.

Para adolescentes – O retrato de Dorian Gray. Autor: Oscar  Wild – Trará grandes questionamentos filosóficos sobre a vida, além de  despertar ao leitor uma noção de temporalidade.

Para adultos – Modernidade Líquida. Autor: Zigmunt  Bauman – Nos traz a reflexão de uma sociedade solúvel, líquida e  relativa, onde tudo se dissolve antes mesmo de ser concluída. Onde as  coisas não foram feitas para durar, onde o individualismo e seus  caprichos ofuscam as relações duradouras e concretas entre os indivíduos  causando assim uma socialização instantânea.

Texto: Vanessa Braz

MULHER SE FORMA EM NUTRIÇÃO AOS 87 ANOS EM JUNDIAÍ

Aos 87 anos e um diploma recém-conquistado nas mãos. Essa é Luísa Valencic Ficara, imigrante italiana que na semana passada se formou, oficialmente, em nutrição pelo Centro Universitário Padre Anchieta, em Jundiaí, interior de São Paulo.
Ao andar pelo palco para pegar o diploma, Luísa, foi aplaudida de pé pelo público que acompanhava a cerimônia.
Os cabelos brancos e o sorriso tímido indicavam a emoção. “Fui contente por terminar a minha tarefa. Achei que fosse ficar nervosa quando fosse receber o diploma, mas na hora estava bem calma”.
Dona Luísa nasceu na Itália e, durante a Segunda Guerra Mundial, veio para a América do Sul. Antes de se instalar em Jundiaí, onde vive há 40 anos, ela residiu em outros três países sul-americanos.
A decisão pelo curso foi o caminho que a idosa encontrou para “ocupar a cabeça” depois de perder o marido e a irmã.
 
“Não adianta ficar em casa que começam as dores. Dores crônicas, dores de saudade. Ter a casa vazia traz tudo isso.”
Surpresa
Dona Luísa diz que ainda lembra da expressão de surpresa do restante da turma quando entrou na sala de aula. “Eu me matriculei quando o curso já tinha começado. Quando cheguei na sala a turma ficou meio espantada. Eles devem ter pensado: ‘O que essa velha quer?’. Com o passar do tempo fui vencendo a vergonha, fiz amizade com os professores, mas o 1º ano foi o mais difícil.”
Sem conhecimentos em informática, Dona Luísa escreveu à mão todo o trabalho de conclusão do curso sobre a cana-de-açúcar no Brasil. “O que me maltratou um pouco foi que eu não sabia nada de computação”, explica.
Ela teve ajuda dos funcionários da faculdade para digitar todo o TCC para ser defendido frente à banca examinadora.
E quem pensa que a italiana encerra a vida acadêmica se engana. Luísa, que também escreve poemas e estuda alemão, inglês e francês, pretende iniciar a pós-graduação.

Quem quer arranja um jeito, quem não quer arranja uma desculpa!

A diferença entre os que realizam e os que lamentam é o tipo de história que cada um conta a si mesmo.

A escolha é sua!!!

Prof. Rogério Castilho – Mind Training

Pés no chão, cabeça nas estrelas

Há pessoas que vivem presas ao passado. “No meu tempo era melhor”, “Antigamente, havia mais respeito”, “No meu trabalho anterior era diferente” etc.

Inclusive, acho graça na expressão “no meu tempo”. Você eu não sei; o meu tempo é agora!!

Por outro lado, há os que “vivem” no futuro: “Ano que vem eu…”; “Conheço alguém que vai me arranjar um bom emprego”, “Quando eu entrar na faculdade/casar/terminar a faculdade” etc.

A pergunta que faço é: você já acordou amanhã? TODOS os dias das nossas vidas são vividos HOJE.

Portanto, viva o agora, programando seu futuro. A busca incessante pelo prazer imediato impede que se planeje, e as consequências podem ser desastrosas.

Pergunte-se sobre as consequências de suas ações, e verifique constantemente se elas estão em congruência com o seu Propósito de Vida.

o que, você não sabe qual o seu Propósito de Vida?????

Falaremos num próximo post…

Prof. Rogério Castilho – Mind Training

Este é o tipo de informação que você encontra por aqui

Veterinário atende gato de pelúcia “doente” de menina autista

Um veterinário derreteu corações no mundo todo depois de atender a um paciente especial: um gato de pelúcia. A dona, uma menina de 6 anos com autismo, estava preocupada com a saúde do felino

Por Crescer online

Dr Maioer examinando Donnie em seu consultório (Foto: Pioneer Veterinary Clinic/Susie Efigenio)

O que você faz quando seu animal de estimação está doente? Procura um veterinário? Foi exatamente isso que fez a pequena Jazmine, de 6 anos. A menina, que tem autismo, estava preocupada há dias com a saúde do amigo “Donnie”, um gato de pelúcia. Diante do sofrimento da filha, a mãe, Susie Efigenio, ligou para uma clínica de Washington, nos Estados Unidos. Por sorte, um veterinário muito simpático, o Dr. Maier, aceitou marcar uma consulta para Donnie.

Jazmine chegando na clínica com seu amigo Donnie (Foto: Pioneer Veterinary Clinic/Susie Efigenio)

Na página da clínica nas redes sociais tem foi divulgado um relato de como foi o atendimento. “Informações do paciente: Donnie, gato doméstico; Reclamação: machucado no pé direito da frente; Exame físico: coração e pulmões normais, pequena laceração no pé da frente direito; Tratamento: bandagem no pé da frente direito, continue por alguns dias; Cuidados para casa: dar amor extra e carinhos até que ele esteja melhor”, diz a publicação. “Depois de um exame minucioso e um curativo rápido, esperamos que o Donnie fique completamente recuperado”, finaliza..

O post fez sucesso nas redes sociais e o Dr. Maier ganhou milhares de admiradores. “Fé na humanidade restaurada”, escreveu um. “Que belo exemplo de bondade pura”, comenta outro. “Eu sei que a garotinha vai lembrar disso pelo resto da vida”, afirma um seguidor. Certamente, um momento pra ser lembrado pra sempre, não é?

Doutor Maier fazendo um curativo em Donnie (Foto: Pioneer Veterinary Clinic/Susie Efigenio)

Selecione o tipo de informação que você vê/lê/ouve. E o tipo de pessoa que as divulga também!
O mundo está cheiuo de gente de todo tipo, inclusive as que preferem focar no que há de positivo no ser humano.
#EstamosJuntos
Prof. Rogério Castilho – Mind Training

O que você vai dizer passa nas 3 peneiras?

Um rapaz procurou Sócrates e disse-lhe que precisava contar algo sobre alguém. Sócrates ergueu os olhos do livro que estava lendo e perguntou:

– O que você vai me contar já passou pelas três peneiras?

– Três peneiras? – indagou o rapaz.

– Sim! A primeira peneira é a VERDADE. O que você quer me contar dos outros é um fato? Caso tenha ouvido falar, mas não tem certeza da sua veracidade, a coisa deve morrer aqui mesmo.

– Suponhamos que seja verdade. Deve, então, passar pela segunda peneira: a BONDADE. O que você vai contar é uma coisa boa? Ajuda a construir ou destruir o caminho, a fama do próximo?

– Se o que você quer contar é verdade e é coisa boa, deverá passar ainda pela terceira peneira: a NECESSIDADE. Convém contar? Resolve alguma coisa? Ajuda a comunidade? Pode melhorar o planeta?

Arremata Sócrates:

– Se passou pelas três peneiras, conte! Tanto eu, como você iremos nos beneficiar. Caso contrário, esqueça e enterre tudo!

Vamos falar de alimentação saudável e qualidade de vida.

Vamos falar de alimentação saudável e qualidade de vida.

Comer bem é essencial para a melhoria da saúde e para conquistar qualidade de vida com longevidade.

O que é significa comer bem? Comer bem não é comer muito e sim comer alimentos saudáveis e que tragam colaboração para a sua saúde física e mental. Além de alimentos saudáveis é necessário que adquira hábitos saudáveis com um estilo de vida que propicie bem estar.

A correria do dia a dia leva os indivíduos a optarem por refeições rápidas, consumidas de pé, na beirada de um balcão de lanchonete e, tenha certeza que são alimentos com alto índice de gordura e sódio, além do exagero de carboidratos acompanhado de refrigerante. Estes hábitos acabam sendo levados para dentro de casa, educando a família no incentivo dos maus hábitos. É preciso levar para dentro de casa, e quando falo em casa, falo do seu corpo também, alimentos que melhorem o seu funcionamento, ajudando na concentração, disposição e bom humor. Com uma alimentação balanceada o seu nível de estresse pode diminuir fazendo com que produza uma taxa menor de toxinas para o seu organismo. Ingerindo alimentos certos é possível controlar a obesidade, os riscos de diabetes, osteoporose, problemas com colesterol entre outras doenças que atacam diretamente o cérebro e o coração.

Não existe nenhum tipo de alimento que contenha todos os nutrientes, portanto é importante que coma variedades. Quando for preparar seus alimentos, busque utilizar gordura animal ou de côco. Prefira os temperos frescos e preste atenção no sal que está utilizando. Dê preferência no preparo de sua comida e leve marmita para o trabalho, além de economizar irá ganhar mais saúde e disposição.

Procure ajuda profissional. Consulte um nutrólogo ou nutricionista. Preste atenção na pessoa mais importante do mundo que é você. Seu alimento é o seu remédio. Se você se alimenta de forma adequada, ingerindo nutrientes, tenha certeza que o risco de adquirir alguma doença diminuirá.

Passamos o dia preocupados com o trabalho, com prazo para entrega de projetos e não nos damos conta do combustível que estamos colocando em nossa máquina (corpo e mente). Como queremos que ele funcione se não nos preocupamos com a qualidade do seu combustível e de que maneira o abastecemos?

Por: Rosana Cibok

Vamos falar de angústia

Vamos falar de angústia.

Eu tenho o olhar voltado para a Terapia Cognitivo-Comportamental e para a Programação Neurolinguística, portanto quando falo em sentimentos logo remeto e os atribuo aos pensamentos: pensamento gera sentimento que gera comportamento. Como posso sentir-me angustiado sem ter pensado em algo que tenha gerado esse sentimento? Todas as vezes que você tiver uma sensação ou um sentimento que não esteja te agradando, e aqui estamos falando especificamente da angústia, repare no que está passando por sua cabeça ou o que você estava pensando no momento em que vivenciou o sentimento desagradável. Os seus pensamentos determinam os seus comportamentos. A angústia pode causar sensação de sufocamento, peito apertado, ansiedade, insegurança, falta de humor, ressentimentos, por vezes aliados a alguma dor. E com estas sensações você pode se comportar disfuncionalmente. Como por exemplo se tornar agressivo, apático, ter sono constante, comer demasiadamente ou até fazer uso de fármacos por conta de dores que você mesmo cria. A angústia também pode ser um sintoma da depressão, que nada mais é do que uma distorção na tríade cognitiva, ou seja, uma distorção na maneira como você se vê, vê o mundo e vê o futuro. Começa tendo uma visão negativa de si, interpretando suas experiências negativamente, gerando uma visão de futuro também negativa, desta forma causando todas as sensações de desconforto trazidas pela maneira como você pensa. A angústia pode aparecer frente a um acontecimento traumático e através de lembranças que causem feridas emocionais. Por isso, insisto em que você mude seus pensamentos.

Falar parece fácil? E é. Vou dar uma dica: construa uma placa com a palavra PARE, e todas às vezes que tiver uma sensação que não te agrade, levante esta placa na sua frente. Caso não tenha a placa fisicamente, construa uma imagem mental com ela e a levante do mesmo jeito. Isso tirará você do pensamento que estava causando a sensação e te levará a pensar em outra coisa. Pode parecer que esteja apenas adiando a resolução do problema, mas ao contrário disso, te tirará do foco dele, pois quando estamos imersos não conseguimos enxergar saídas viáveis.

Pense melhor sobre isso.

Por: Rosana Cibok

Psicóloga e Master Practitioner em PNL

Vamos falar de autoestima

Autoestima está ligada ao julgamento que fazemos de nós mesmos e a capacidade de se gostar. A forma como nos sentimos está ligada a maneira como pensamos, portanto se temos pensamentos ruins e negativos a nosso respeito e acreditamos neles, nossa auto avaliação pode estar comprometida. Podemos dizer que somos o que acreditamos ser e, nossas crenças estão baseadas em como nos vemos, como vemos o outro e como vemos o mundo e o futuro. Se a visão que temos de nós mesmos são disfuncionais, então nossa autoestima tende a ser baixa. Podemos nos sentir disfóricos, o que pode nos levar a ter esses comportamentos disfuncionais ou ainda evitarmos formas adaptativas de nos comportarmos. Isso gera mudanças angustiantes no corpo e na mente.

Nossas crenças vão sendo construídas no decorrer da vida, começando na infância onde as compreensões se tornam verdades absolutas e duradouras. Elas podem ser tão rígidas e supergeneralizadas ao ponto de contribuírem para a construção de uma estima baixa, fazendo com que interpretemos as situações por meio das lentes de nossas crenças. Com o passar do tempo se deixarmos de enxergar as interpretações racionais, nossas crenças podem se fortalecer cada vez mais, intensificando nossa baixa estima.

Uma maneira de melhorar a qualidade de nossa estima é agir diretamente na modificação de nossas crenças, identificando as cognições mais próximas da consciência e aprendendo a manter o distanciamento delas. Fazer mudanças nos pensamentos para que eles sejam mais baseados na realidade, ajuda a nos sentirmos melhor.

A inatividade pode comprometer o nosso humor fazendo com que nos sintamos inúteis, gerando mais pensamentos disfuncionais e fazendo com que nos comportemos também disfuncionalmente, virando assim um círculo vicioso. É importante fazermos uma avaliação dos níveis de satisfação que obtemos em nossas atividades para sabermos se isso reflete os resultados que esperamos. E quando falo em satisfação refiro-me às coisas práticas diárias. Nossa auto estima pode ser encontrada no simples, no dia a dia, no vestir uma roupa e nos enxergarmos diante do espelho; no reconhecimento do seu trabalho; no seu desenvolvimento pessoal; na relação com as pessoas; na entrega que você tem à você mesmo.

A autoestima é a soma de autoconfiança com autorespeito e depende dos seus pensamentos e de como você se vê.
Busque ajuda profissional.

Rosana Cibok
CRP 06/141653