medos

Vamos falar de medo x fobia

Medo é uma emoção desconfortável importante pois é um instinto de sobrevivência. Ele aumenta o grau de vigilância e o poder de fuga, luta ou congelamento diante de situações de perigo. É acompanhado de ansiedade que antecipa o perigo e prepara para a sua chegada.
Porém o medo pode ser patológico e prejudicial, e estamos falando aqui das fobias, que são medos persistentes e que paralisam. A fobia tem três componentes: a ansiedade antecipada pela possibilidade de encontrar o agente fóbico; o medo com sintomas físicos e os comportamentais como a esquiva ou fuga, que visam cessar o mal-estar. Não temos medo do objeto ou da situação em si e sim do que ela pode gerar. A fobia gera sintomas físicos e psíquicos. Nos sintomas físicos podemos elencar a evitação na qual o indivíduo foge de situações do dia a dia e nos psíquicos em que catastrofiza e antecipa negativamente o futuro.

Ao longo do desenvolvimento humano, alguns medos são normais, surgindo em alguma idade específica e desaparecendo em outra. Para alguns estudiosos, o quadro fóbico se instala após os 8 ou 10 anos de idade. Algumas pessoas dizem que a origem foi baseada em experiência traumática, outras dizem ter aprendido de membros da família. As fobias são influenciadas por nossas cognições e crenças.

Existem várias técnicas comportamentais e cognitivas para o tratamento de fobias. Algumas abordagens vão atrás de causas e eventos, ou seja, se preocupam como aconteceu, onde aconteceu, etc. Não importa “o como”, o importante é que você busque ajuda profissional.

Por: Rosana Cibok
Fonte: Bernard Rangé & Colaboradores

COMENTÁRIOS